GTS Network

 

Colunas


GESTÃO

Os Onze Mitos Sobre o Planejamento do Tempo dos Gestores
Maurício Góis



Não quero escrever um artigo sobre como administrar o tempo e sim sobre as mentiras que nos disseram na gestão educacional quando o assunto é tempo versus planejamento. Vejamos as onze mais importantes:

1. A MENTIRA DA AÇÃO. É aquela que diz: - Precisamos planejar bem o tempo. A verdade correspondente é que precisamos planejar o que fazer no tempo. Precisamos planejar a nós mesmos, pois o tempo já foi planejado pelo Eterno.

2. A MENTIRA DA RESPONSABILIDADE. Mais outra mentira: a delegação de poderes alivia a carga de responsabilidade, poupa preocupações e faz ganhar tempo. É mesmo? A verdade verdadeira é que delegamos autoridade, pois responsabilidade é, muitas vezes, indelegável, no seu todo.

3. A MENTIRA DA DEMORA. Quanto mais demoramos em tomar uma decisão, mais ela será acertada. Que pena que você pensa assim! Mude para esta verdade: Se um dirigente de escola tem os dados corretos, se ele levanta as informações, se critica alternativas, a decisão deve ser tomada imediatamente.

4. A MENTIRA DA ALTURA. Quanto mais alto for o nível em que a decisão for tomada, mais acertada será em seus aspectos gerenciais. Caramba! E tem dirigente adoidado que pensa assim! O certo é que a decisão deve ser tomada partindo do nível mais baixo possível, desde que tenham todas as informações. Quanto mais baixo for o nível, mais acertada é a decisão. Em outras palavras: a faxineira acerta mais que o diretor.

5. A MENTIRA DA EFICÁCIA. Quanto mais ativos somos, mais eficazes seremos e mais produzimos como gestores educacionais. Olha o Pinóquio aí, gente! A verdade é que não é a atividade que conta na eficácia e sim os resultados finais que são obtidos. Uma pessoa até pode conseguir resultados sem ser ativa.

6. A MENTIRA DA AUTOCOMPETÊNCIA. Nesta empresa somente eu sou capaz de fazer as coisas bem feitas. É mesmo, seu espertinho! Pois saiba que todas as pessoas são capazes de fazer tão bem quanto você se forem treinadas para isto e se suas expectativas são que elas vão conseguir. E uma das piores coisas do mundo é fazer bem feito o que não era importante.

7. A MENTIRA DA MATURIDADE. Veja que mentirona de pernas compridas: com o tempo crescemos em maturidade e experiência. Não pense nesta direção. Raciocine assim: É o ser humano que é escultor de sua própria experiência e arquiteto de sua própria maturidade e não o tempo. E é claro que eu não vou dizer que cabelos brancos podem não significar nada, tendo em vista que os bobões também envelhecem. (eu fiquei sem jeito de escrever canalhas).

8. A MENTIRA DA PORTA. Meus funcionários, sejam professores, supervisores, etc não poderão reclamar de nada, pois estou sempre com a “porta aberta” para ouvi-los. Ah! Essa é boa! Os funcionários de sua escola dirão: - Ora, por que ele não usa esta mesma porta que está aberta, para sair de onde está para chegar até nós e nos ouvir?

9. MENTIRA DA SOBRECARGA. Acontece quando você diz: estou sempre sobrecarregado de trabalho. Tá não. Você está é sobrecarregado de “desplanejamento”, desorganização, ansiedade e ineficácia.

10. A MENTIRA DA ANTIGUIDADE. Aparece quando você cai na tentação de pensar: - como gestor educacional, devo promover os mais antigos. Faz isso não. Promova os mais eficazes.

11. A MENTIRA DA PRESENÇA. Surge quando você raciocina: numa escola, o empregado modelo é o que sempre está presente e nunca faltou. Mude para: Numa escola o empregado modelo é o que consegue resultados. E ponto final. Enfim, acabe com estes onze mitos básicos e você verá o planejamento de seu tempo dar certo e o sucesso vestido de verdade entrar pelas portas lucrativas de sua escola.


Ver perfil deste colunista | Listar todas as colunas deste colunista